quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

"Depois que tudo já tinha sido feito, ou antes, que nada mais pudesse acontecer”.

Sempre ouço falar do fim do mundo, e sei que a cada dia que passa ele inexoravelmente se aproxima, nunca levei isso muito a sério, na verdade brinco que adoraria assistir a tão fabuloso espetáculo na primeira fila, de preferência com vista para o mar saboreando uma água de coco bem gelada. Outro dia fiz a mesma brincadeira com meus filhos durante o almoço, e cada um deles à sua maneira teve uma reação, nada que não fosse de se esperar de crianças, eu porém, comecei a tecer várias considerações, algumas fatalistas, outras bem humoradas, o quadro a ser pintado é algo que realmente não se poderá evitar, não há porque não encarar com naturalidade. A cada desgraça que acontece, ou a cada nova moda inventada, ou barbaridade praticada, todos são categóricos ao afirmar, “ISTO É O FIM DO MUNDO”, talvez seja mesmo, mas é quase certo que ainda não, mesmo assim ainda quero aquele meu lugar na primeira fila com vista para o mar e com a água de coco bem gelada. Doenças, catástrofes naturais, guerras, assassinatos com requintes de crueldade, o ser humano dando provas cada vez mais concretas de sua incapacidade de viver no planeta que habita sem destruí-lo por alguns trocados a mais, ou uma gozada que não possa ser deixada para daqui a cinco minutos, talvez fosse a última e mais mórbida diversão a ser apresentada para a humanidade, acho que até mereceríamos todos ingressos vip para assistirmos a derrocada final do homem, e o triunfo das baratas. Neste dia do juízo final, em que inspiraríamos nossos últimos litros de ar pútrido, teríamos todos a certeza que não mais viveríamos para contar nossa história, ou para dar aquela trepada com quem tanto sonhamos, ou ainda comprar qualquer coisa, ou mesmo roubar o que por tanto tempo desejamos, não poderíamos perder tempo buscando nossos inimigos para mata-los, talvez já estivessem mortos. Neste último e fatídico dia da humanidade sobre a terra de nada adiantaria pedir perdão, ou perdoar, ser bondoso, ou perverso, Deus talvez nem estivesse prestando atenção no que estaria ocorrendo, talvez estivesse ocupado com coisas muito mais interessantes, talvez nunca tivesse estado em qualquer lugar. O que eu poderia fazer nesse dia, se realmente estivesse presente? Talvez fosse realmente até a praia, beber uma água de coco bem gelada, ou ainda estivesse em casa almoçando com a família, não sei se faria nada que fosse digno de nota, ou extremamente prazeroso, ou ainda que resolvesse me afirmar como melhor que alguém neste dia em que finalmente todos nós haveríamos de inspirar nossos últimos litros de poluição, deixando todo o planeta à mercê das baratas, e de toda sorte de insetos, e vermes. Uma só coisa me preocupava nessa minha viagem a este dia caso ele fosse realmente acontecer tão brevemente, isto não seria fácil de ser explicado às crianças caso ainda estivessem comigo à mesa, mas também não seria necessário, mesmo porque elas assim como todos nós não teríamos mais um minuto de vida sequer, eu seria poupado pela impiedosa intervenção do destino comum a todos, acho que seria inútil explicar o que não precisaria mais de qualquer explicação, a realidade seria mais forte que minhas palavras, ela sempre é. Gostaria, no entanto de saber com seria o mundo das baratas e vermes que fatalmente tomariam conta de toda a terra, vida haveria, e quem sabe inteligência também, não sei se seria capaz de compreender sua nova ordem, sua lógica extremamente peculiar. Imagino ainda que restaria muito lixo sobre a terra, muita sucata a se degradar com o tempo, máquinas que ainda estariam inteiras e aptas a funcionar se houvesse energia e alguém para comandar. Computadores sem qualquer uso cheios de informações de todo tipo, ou totalmente vazios, obras de arte em museus que não passariam de um monte de material acumulado para finalidade alguma, isto também estaria a total disposição das nossas amigas baratas, dos vermes e demais seres que sobrevivessem ao fim dos tempos. O Tempo também desapareceria, ninguém mais se incomodaria em perceber sua passagem nem registra-la com relógios e calendários, talvez sobrassem vozes, registradas em gravações, imagens daquilo que um dia esteve por lá, palavras escritas, ou faladas, mas não significariam mais nada. Ainda assim o tempo passaria como sempre passou, indiferente à consciência de quem quer que fosse um dia nota-lo passar, e quem sabe até alguém notasse à medida que ele fosse passando. Eu decidi então encarar o fim do mundo como um evento que se aproxima a cada dia, e coloquei meu plano de reserva de lugares em ação, mesmo porque jamais me perdoaria se não tivesse aquele meu lugar de frente para o mar, e aquela água de coco gelada nas mãos. Trabalho com um objetivo bem claro em minha vida preciso conseguir estes lugares e aproveitar o máximo deles enquanto puder, mesmo porque não vai ter graça nenhuma se o espetáculo durar só alguns minutos, mas vai ser muito bom aproveitar desta condição enquanto o tal dia não chega, e se não chegar comigo vivo, vai ser uma pena, mas de uma certa forma cada um tem seu diazinho do juízo final quando bate as botas. O ser humano brinca de ser Deus todos os dias, e até inventa um Deus que lhe seja útil para justificar tudo aquilo que faz, não sei se devo esperar me encontrar com esse Deus que todos falam, ele pode ser bem diferente disso tudo, posso tomar um grande susto, ou talvez não me encontrar com ninguém, mas sei que isso que tem dentro de mim e que me faz escrever tudo o que escrevo permanecerá vivo após o final de tudo, este meu “Eu Interior”, resistirá assim como as baratas, e talvez se desprendendo do tempo possa testemunhar uma história de um novo mundo a ser criado. Não chega a ser uma obra de ficção, é apenas um pouco de maquiagem literária jogada sobre aquilo que já está acontecendo. Nosso planeta se aquece a cada dia devido à utilização de combustíveis fósseis, mas nossa mente pode nos levar imaginar quadros tenebrosos, não custa nada tentar. Imaginem que daqui a alguns anos vamos nos dar conta que tanto consumo de energia só pode nos levar mais rapidamente ao abismo, ainda que tenhamos muito que queimar, e temos de sobra. A cidade de São Paulo é uma das maiores consumidoras de energia do planeta, e muitas vezes consome muito além do que necessita, imagine que um governante resolva fazer um esforço para deter este consumo desenfreado. Aparelhos de ar condicionado seriam desativados em repartições públicas, lâmpadas seriam substituídas por outras mais eficientes, e até mesmo os hospitais seriam incluídos neste esforço, mesmo porque jamais poderia faltar energia nos grandes hospitais da cidade de São Paulo. Tanto esforço só nos daria mais algum tempo de sobrevida, o aquecimento global ainda assim continuaria em curso, mesmo depois de algumas décadas de esforço dedicado de governantes, cidadãos e da comunidade científica, os grandes hospitais da São Paulo tomariam medidas conjuntas de controle de consumo de energia, alas que não precisassem de ar condicionado, passariam a não tê-lo, algumas outras seriam transferidas para tendas onde haveria mais ventilação e o controle de contaminação por agentes biológicos seria mais rigoroso, salas de cirurgia ainda ocupariam prédios de concreto e aço, mas salas de parto seriam mudadas para os ambientes tenda, onde seria mais fácil respirar, e ainda assim se garantir um controle de infecção hospitalar quase excelente. Esta solução arriscada, mas plena de êxito criaria um novo paradigma a ser buscado, mesmo assim ainda estaríamos morrendo lentamente sufocados, a cada dia, e chegaria com certeza o dia em que esta solução não poderia mais ser aplicada, o ar seria tão poluído que os recém – nascidos correriam grave risco de intoxicação, e chegaria ainda o dia que ao dar seu primeiro grito para a vida uma criança haveria de consumir os últimos centímetros cúbicos de ar respirável, e morreria em seguida, juntamente com os trilhões de pessoas sobre a terra. A maior de todas as catástrofes é o aquecimento global, pois ainda morreremos todos sem nenhum tiro ou explosão, mas pela nossa avidez de consumir qualquer coisa que esteja à nossa disposição.
Licença Creative Commons
"Depois que tudo já tinha sido feito, ou antes, que nada mais pudesse acontecer” de Zisco Hares Fongaro é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Baseado no trabalho em http://zisco-zisco.blogspot.com.br/2012/12/depois-que-tudo-ja-tinha-sido-feito-ou.html#links.

sábado, 9 de junho de 2012

Enter GivawayScoop and win lots of interesting PRIZES http://www.giveawayscoop.com/ YOU WILL LOVE IT!!!!!

domingo, 26 de setembro de 2010

ABAIXO A CENSURA DO PT

Entrem na minha mais nova comunidade, vamos deixar bem claro que o Lula não é tudo isso.

http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=106712086

Essa é minha, vamos lá!


domingo, 12 de setembro de 2010

Será que somos verdadeiramente uma democracia?


Image via Wikipedia
Repasso o texto de Arnaldo Jabor por que acredito na liberdade de expressão em um país democrata.

Temos o direito de escolha e devemos optar pelo que acharmos melhor. Mas devemos ter sempre liberdade nesta escolha...

por Arnaldo Jabor

VOTE NA DILMA !

As promoções da época!

Vote na Dilma e ganhe, inteiramente grátis, um José Sarney de presente agregado ao Michel Temmer.

Mas não é só isso, votando na Dilma você também leva, inteiramente grátis (GRÁTIS???) um Fernando Collor de presente.

Não pense que a promoção termina aqui.

Votando na Dilma você também ganha, inteiramente grátis, um Renan Calheiros e um Jader Barbalho.

Mas atenção: se você votar na Dilma, também ganhará uma Roseana Sarney no Maranhão, uma Ideli Salvati em Santa Catarina e uma Martha Suplício em S. Paulo.

Ligue já para a Dirceu-Shop, e ganhe este maravilhoso pacote de presente: Dilma, Collor, Sarney pai, Sarney filho, Roseana Sarney, Renan Calheiros, Jáder Barbalho, José Dirceu, Delúbio Soares, José Genoíno, e muito, muito mais, com um único voto.

E tem mais, você também leva inteiramente grátis, bonequinhos do Chavez, do Evo Morales, do Fidel Castro ao lado do Raul Castro, do Ahmadinejad, do Hammas e uma foto autografada das FARC´s da Colombia.

Isso sem falar no poster inteiramente grátis dos líderes dos bandidos "Sem Terra", Pedro Stedile e José Rainha, além do Minc com uniforme de guerrilheiro e sequestrador.

Ganhe, ainda, sem concurso, uma leva de deputados especialistas em mensalinhos e mensalões. E mais: ganhe curso intensivo de como esconder dinheiro na cueca, na meia, na bolsa ..., ministrado por Marcos Valério e José Adalberto Vieira da Silva e José Nobre Guimarães.

Tudo isto e muito mais!

A VERDADE ESTÁ NA CARA, MAS NÃO SE IMPÕE.

ARNALDO JABOR



TSE retira comentário do Arnaldo Jabor do Site da CBN

Leia o comentário de Dora Kramer, Estadão de Domingo:

"A decisão do TSE que determinou a retirada do comentário de Arnaldo Jabor do site da CBN, a pedido do presidente 'Lula' até pode ter amparo na legislação eleitoral, mas fere o preceito constitucional da liberdade de imprensa."


Recebi este e-mail e estou também publicando em nome da liberdade de expressão que julgo essencial para nos arvorarmos a dizer que vivemos em uma democracia.


Enhanced by Zemanta


Powered by ScribeFire.

terça-feira, 6 de julho de 2010

ONGs promovem abaixo assinado em prol dos animais

A primeira delegacia de proteção animal do estado de São Paulo surgiu em Campinas e agora é a vez da capital ter uma unidade policial especializada em fazer cumprir as leis existentes em favor dos animais. A iniciativa é do Clube dos Vira-latas e já conta com o apoio do deputado Celso Giglio que encaminhou um pedido oficial ao Governador. Até o dia 30/julho de 2010 a ONG espera registrar 50 mil assinaturas e entregar em mãos ao governador do estado de São Paulo em exercício Alberto Goldman, que está substituindo José Serra por conta da candidatura do mesmo à presidência da república. Acesse e assine: www.cao.com.br

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Champanhe com Torresmo: REDES SOCIAIS

Champanhe com Torresmo: REDES SOCIAIS: "Política no Facebook Zisco Hares Fongaro O Serra e a Dilma vão cada uma à sua maneira nos manter debaixo dos mesmos acordos com banqueiros,..."

sábado, 16 de janeiro de 2010

Blog Gincana de Janeiro de 2010


Esta é a foto com os 10 objetos para a tarefa de Janeiro de 2010 do blog Zisco ainda tenho 2 outros blogs inscritos.
Tentei não ser o relógio, mas me vi em apuros com o tempo, na verdade eu queria ser a caixa de balas de menta Altoids, ou o incensário, talvez seja bom ser binóculos, uma coleção de livros de Fernando Pessoa também é útil, afiada como a lâmina de um punhal.
Sobre o prato de cobre são colhidas as cinzas do incenso perfumado, isso me faz contemplar a foto antiga do museu, uma casa que guarda o passado, meus óculos de leitura que me permitem ler o que vai por este mundo, e um gancho de metal que pode pendurar um casaco.
O nome desta foto é "Tentativa 01", outras virão, mas espero que venham por alguma das co-autoras de meus outros 2 blogs inscritos, são donas de muito saber e versadas em muitas letras, vou aguardar.
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.





terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Recolhendo os cacos





Pablo Picasso: Mulher ao espelho

Entra então na sala Marlene, olha para todos os fantásticos espelhos e começa seu trabalho, como sempre fizera.

Limpar a cada um deles, dar brilho e não deixar qualquer marca de dedos das mãos curiosas que por lá passaram durante o dia, uma rotina que exige paciência e perícia, assim como lucidez e pragmatismo, tudo tem que estar perfeito.

Marlene vê a si mesma em cada um dos espelhos e relembra tudo o que vivera até então, hoje é o mesmo que ontem, o tempo já não faz mais sentido por estas bandas.

Recria o final daquilo que já tinha por ela sido dado como findo, mas não estava, talvez nunca esteja, imagens fragmentadas parecem surgir do nada.

Marlene pega sua vassoura e varre essas imagens em cacos para fora da grande sala.
Acorda Flávio em sua casa com o televisor ligado, suando em bicas, morto de sede.


Por aqui paramos de tecer esta história, acho que até o meu tropeço ajudou um pouquinho, ir e voltar é algo intrínseco ao tecer e ao tecelão, ora afoito por arrematar a trama, ora preocupado com que se tenha muito fio para tecê-la.




Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.





Tivemos mais , muito mais, foi muito bom participar desta bloggincana.


quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Arrematando o tecido da Bloggincana de Dezembro


Tenho a honra de estar aqui para arrematar a trama que foi começada pela Maria de Fátima do blog Boa Baltazar e passou poor vários e brilhantes participantes, pego o fio deixado pela Angela do blog Entremeios.




"Lembrou-se da pessoa que vira no espelho e que não era ele. Aquele espelho...os espelhos! O que refletiam eles afinal? Outros "Eus", Vidas passadas?"

Qual a cor de um espelho, qual a aparência de tal objeto?

Para onde quer que se mire ele reflete exatamente aquilo que primeiro se apresenta, se for preto é preto, se branco é branco, se não for não é.

A capacidade infinita de conter em si qualquer imagem faz do menor dos espelhos um pequeno universo.

Assim como o papel em branco pode suportar qualeuer ideia, o menor caco de espelho também pode reproduzir a imagem invertida de tudo o que venha a existir.

Flávio tornou-se Sofia, pegou seus filhos pela mão e os levou para casa celebrar a entrada de mais um ano em suas vidas.

Mais um espelho se quebrou na grande sala do museu em milhares de pedaços, infimos cacos plenos da mesma potência do todo antes de se romper.

Cabem lá e cá Sofias, Marias, Pedros e Antônios, amores e desamores, vida e morte.
Coube a cada um de nós ser um caco de espelho a reproduzir uma verdade ou uma fantasia.

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons






Foi uma honra e um prazer participar desta Bloggincana, eu quero mais, muito mais!

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

BLoggincana


Por uma iniciativa linda da Fátima do Boa Baltazar, estou participando de mais uma tecelagem de textos, vou aguardar ansioso a minha vez, tenho certeza que vai ser muito bacana participar desta brincadeira de palavras que já começou muito bem por lá no Boa Baltazar.

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Um Presente Emocionante



Fiquei muito feliz ao abrir meu e-mail e verificar alguns comentários neste blog, um deles trazia um presente que realmente me tocou, um selo que eu sequer imaginava poder receber, nunca fui bom de pontaria, rs!

Além de agradecer muito ao Paulo Ka do blog The K Theory, gostaria também de passar o mesmo selo para mais 10 blogs que me acertam em cheio, são de grandes amigos que sempre estão por aí me ensinando muita coisa.


Boa Baltazar , da grande Fátima Cristina que topa qualquer coisa por uma boa poesia


Chique É Ser Feia, da Feia Nanda, ela sabe porque eu gosto dela, essa mulher tem uma voz muito linda!



Coração Pirata
, da zani , uma das minha gaúchas preferidas, adoro falar de futebol com ela!


Retratos da Mente, O Danny é bruxo, o cara manja muita coisa, é uma figuraça.


Tear De Sentidos,da Tê ajudada pela Jana, duas das minhas gaúchas favoritas também(juro que é mera coincidência tantas gaúchas assim)elas são mestras mesmo,rs!


Minhas Vidas,da Avassaladora, nem precisa dizer porque, olha só o nome dela, já me ensinou muita coisa, é uma criatura mágica.


Essencial, da Mirian , uma das pessoas mais generosas e inteligentes que conheço, é sempre um prazer ler o que ela escreve, ela é essencial e fundamental.



Delírios de Borboletas
, simplesmente porque esses delírios são tudo o que qualquer um de nós precisa para poder continuar escrevendo,sou fã dessa minha amiga.


Mari Amorim Brincando Com A Rima,a criatividade dessa moça me deixa sempre encantado.


Entre a Loucura e a Arte, o blog da Jana, talento e competência essa guria tem de sobra.


Foram 10, mas eu tenho muitos outros que adoro, e não vou deixar escapar da próxima vez.

Na Última Hora



Como quem não havia percebido o tempo passar, passei por aqui.
Tentei pensar em algo para escrever, resolvi escrever sobre se escrever algo.

Talvez não seja suficiente, ou pouco relevante.
Seria muito escrever com ares de poeta ou de contista.
seria pouco não escrever nada, somente deixar o mês acabar.
O anterior passou, ninguém sequer notou, este também passará.

Gosto de tentar coisas novas, gosto de sabores diferentes.
Esta noite pude saborear um lauto jantar, regado a um bom vinho.
Um momento especial em que o vinho prepara a boca para sentir.
A delicadeza do alimento é valorizada pela força da bebida que nos estimula o sentir.

Sentir é tudo
Sentir frio
Sentir calor
Sentir fome
Sentir sede
Sentir que passou e deixou a marca de prazer e de amor.
Já é um novo mês, já acabou, são 13 minutos de Agosto.

terça-feira, 30 de junho de 2009

Um Tecido Nosso


Tapeçaria, 1980, Executada por Tecelagem Parahyba em lã, em 1m98cm x 2m65cm, Acervo Sítio Roberto Burle Marx - IPHAN / MinC Foto: Cesar Barreto


Com a grande contribuição das grandes amigas, Avassaladora
Fátima Cristina e Mari Amorim.

"Dormi, lindo sonho sonhei

Senti, preguiça de acordar

Sorri, com o amor acordei

Corri, hora de trabalhar"

"Corri, hora de trabalhar

Trabalho, por meu justo quinhão

Salário, não me permite sonhar

Suado, para comprar o meu pão."

"Suado, para comprar o meu pão

"Bem sei, um dia hei de parar

O sonho alimenta o coração

Não para, vida sempre a pulsar."

"Não para, vida sempre a pulsar

Parar só se for para sonhar

Sonhar com um dia lindo

Sonhar com as ondas do mar."

"Sonhar com as ondas do mar

Alegrando nosso viver

Sonhar com o simples brincar

Andando na praia ao entardecer"

"Andando na praia ao entardecer

Nadar, brincar, correr

Amar você sob as estrelas

Em seus braços esperar o amanhecer"

"Em seus braços esperar o amanhecer

Ver a noite passar, e o sol sorrir

Um dia novo ver contigo nascer

Sei que mais um novo dia há de vir"

"Sei que mais um novo dia há de vir

Sei também que ele nos fará sorrir

E então esperaremos o seu anoitecer

Murmurando promessas e evocando o prazer"

"Murmurando promessas e evocando o prazer

Prazer de brincar, com palavras e com sentidos

Como bola no pé do menino, venho te escrever

Versos, simples e ingênuos, porém divertidos."

"Divertidos são os sons
do menino sorrindo,
com a bola no pé
eu lhe pergunto
qual teu nome menino?
sou o futuro,
meu nome é Zé

"Sou o futuro, meu nome é Zé
o Zé dos dias ensolarados
o Zé dos parques encantados
o Zé do futuro aqui no presente
O Zé que mora em sua mente"

Poema tecido por nós , Avassaladora, Fátima Cristina , Mari Amorim, e Zisco.
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.




sexta-feira, 26 de junho de 2009

99 Anos Hoje



Quero oferecer esta postagem para marcar o aniversário de 99 anos da Nona hoje, no ano que vem com certeza vamos celebrar este século completo de muita vida, e com muita alegria.


Visitem o blog que fiz para celebrar os 100 anos da Nona, com certeza estará recheado de histórias até o ano que vem.

domingo, 14 de junho de 2009

Tecendo


Quero com este post retomar uma atividade que já havia parado há muito tempo.Vou retomar minhas trovas.
A proposta é a seguinte:

Uma quadra de versos onde a rima se faz de forma alternada

Dormi, lindo sonho sonhei

Senti, preguiça de acordar

Sorri, com o amor acordei

Corri, hora de trabalhar

Segue-se a trova com o 4º verso iniciando a nova quadra

Corri, hora de trabalhar

Trabalho, por meu justo quinhão

Salário, não me permite sonhar

Suado, para comprar o meu pão.

Desta forma proponho a cada visitante que inicie nova trova a partir do 4º verso da que foi postada anteriormente, vamos tecer com versos nossa própria poesia.

Para facilitar é aconselhavel que cada um copie e cole em sua contribuição aquelas que já foram postadas.

Espero também que possam visitar o Tear de Sentidos, é um blog muito interessante de duas amigas fenomenais, Jana e Tê.

sábado, 9 de maio de 2009

Que livro você é?


Eu achei esse teste interessante, mas não deu um livro muito bom no meu caso, eu queria ser qualquer coisa de Drummond, poderia ser a Antologia Poética, ou As Impurezas do Branco, mas acho que tenho que me contentar em ler tais livros nas pessoas que admiro, enquanto isso tentamos levar a vida com bom humor e uma boa piada para relaxar.

Faça o teste você também aqui.
Pode ser que da primeira vez você não goste de ser um livro chato, mas vá tentando que dá para melhorar a desgraça de se r um livro de auto ajuda, afinal rir é um santo remédio.



"No país da piada pronta", de José Simão

A tragédia do cotidiano te faz rir para não chorar. E por que rir sozinho, não é mesmo? Você logo convida quem estiver por perto a rir com você. E consegue! Divertido e inteligente, você garante que a maioria de suas piadas é, sim, de bom gosto. E que não concordem os mal amados de plantão! Não que você seja alienado ou não perceba o sofrimento dos outros, muito pelo contrário. Mas, muitas vezes, o melhor remédio é mesmo dar uma boa gargalhada.
O colunista-humorista José Simão, do jornal Folha de S.Paulo, reúne em "No país da piada pronta" (2007) verbetes de dicionários criados por ele, como o do tucanês e do lulês.

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Hoje me disseram que saudade não passa


Hoje me disseram que saudade não passa
A saudade realmente não passa se você não matá-la

Ela só aumenta enquanto está viva dentro de nós

Por isso mesmo tenho planos malévolos, ardis tenebrosos para matá-la

Vou procurar estar sempre com quem amo, vou buscar sempre a quem quero bem

Vou vestir as roupas que gosto , vou ouvi muita música que me faça feliz

Só quero ter saudade da vida quando já não mais puder vivê-la

Hoje me disseram que saudade não passa , mas vou esperar por aquilo que me dirão amanhã

Terei eu saudade do dia de hoje quando ele passar a ser ontem?

Sei que hoje não sinto saudade alguma, ela será bem morta amanhã.

Não quero sentir saudade de nada, não quero perder-te jamais.
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.



domingo, 19 de abril de 2009

Saudade


Saudade
A saudade já nasceu para ser vítima de assassinato, pois quanto mais dura pior é.

Matar a saudade é o único "crime"autorizado por lei.

Podemos matá-la a pauladas, ou matá-la de fome, desde que morra e não nasça outra em seu lugar.

A saudade brota feito erva daninha , como mato no canteiro do jardim.

O jardim bem cultivado sempre tem os amigos presentes e bem cuidados.

Vou comprar um bom produto para me ajudar a matar toda saudade que brotou nesse canteiro, desde que me ausentei pela última vez.

Vou buscar inspiração para escrever, e matar a saudade também ao ler.

Saudade de todos e de todas, saudade dos olhos castanhos, dos verdes, dos pretos e dos azuis.

Saudade eu ainda te mato hoje de mim você não escapa, isso é um compromisso , não é ameaça.

Vou chamar uma turma e vamos juntos linchar violenta mente a saudade, malhar feito Judas em sábado de aleluia.

Sobre os restos mortais da saudade exultarão alegres e vitoriosos os amigos.

Com prazer sem limite esfolaram a desgraçada, mataram a infeliz, morra eternamente.

Na alegria do re-encontro está o epitáfio da desvalida saudade, assassinada com sádico prazer.

Vai embora para nunca mais !
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.


quinta-feira, 2 de abril de 2009

Ecological Day



Fiquei sabendo só agora mas vou dar uma força para o Ecological Day, vou ter que ser rápido não vou poder falar muito, mas acho que as palavras de um chefe Sioux podem ajudar a se pensar melhor sobre a nossa relação com o nosso planeta.




quarta-feira, 1 de abril de 2009

Meme Da Ester


Recebi este meme da Ester, e gostaria de repassar para aluns amigos também, não precisa responder imediatamente, eu mesmo quase que não encaro , mas ao tentar me envolvi , é bem gostoso.


1. A última pessoa com quem falou hoje:Meu filho Gabriel, nada de especial, coisas de casa.

2. A última coisa que falou: "Tá"

3. O último pensamento: “Quando será que vou responder esse meme?"

4. A última pessoa com quem brigou: Atendente do sac do meu plano de saúde, eu ganhei!

5. A última pessoa com quem se reconciliou: Com uma mulher de olhos verdes que amo, brigamos sempre, sempre fazemos as pazes.

6. A última pessoa que falou de Deus pra você: Eu mesmo, sempre que falo de Deus para alguém tudo o que falo cai como uma luva para mim.

7. O último lugar que você gostaria de estar: Em um banco numa fila.

8. O último filme a que assistiu: Saneamento Básico , O Filme

9. O último livro que leu ou que está lendo:Vale o livrinho do plano de saúde?

10. O último presente que ganhou: Roupas, de minha mulher

11. A última coisa que gostaria de estar fazendo: Pagando contas

12. O último telefonema feito ou atendido no seu celular ou telefone: Para o sac do plano de saúde

13. O último conselho que deu e pra quem deu: Para um desconhecido no orkut

14. A última vez que chorou e por que: "Descascando cebolas, motivo de força maior."(descaradamente copiado da Ester, mas 100% verdadeiro.)

15. O que faria hoje se fosse seu último dia de vida: Iria para a praia, e tentaria ver a beleza do mundo mais uma vez.

Vou repassar para:
Janaína minha amiga e parceira no Mentalmorphosically

Bia Brum uma provável parenta da Jana, super amiga e parceira também no
Mentalmorphosically

Zani

Avassaladora

Maria de Fátima

E para quem mais quiser.

terça-feira, 31 de março de 2009

O Conficker




Divulguem esse post pode ser colado no seu blog

Eu queria ter postado isso antes e na correria acabei me esquecendo, mas é vital!
Está previsto para amanhã dia Primeiro de Abril, e não é uma pegadinha, um dos mais terriveis virus jamais produzidos o CONFICKER.
Ninguem sabe o que vai acontecer a meia noite de hoje, mas teme-se que milhoes de computadores serão infectados.
A grande pergunta é: o que ele vai fazer? levar todos os dados inclusive senhas e numeros de cartões de crédito? Ninguém sabe, mas vamos descobrir em breve... ou não,
como diria Caetano.
Conficker é um vírus extremamente inteligente, ele pode inclusive pregar uma peça e ao invés de atacar amanhã como está previsto, deixar para algum outro dia próximo para pegar a maioria de surpresa.
Ele está programado para atacar 50 mil sites diariamente e ao acaso.

Primeiro passo para se proteger Windows Update, certifique-se que seu antivirus está funcionando e update.

Se o Conficker já estiver no seu PC seu antivirus pode parar de funcionar. Caso não esteja funcionando tente o Safe Mode

Se voce teme o Scanner da Microsoft (algumas pessoas tiveram problemas com ele)tente:
Symantec's Conficker (aka Downadup), Trend Micro's Cleanup Engine, ou Malwarebytes.
O Conficke pode impedir que seu PC acesse esses websites, nesse caso voce terá que fazer o download a partir de um PC não infectado.

O conselho final, que pode salvar sua vida, e estou falando sério, é fazer um
back up completo hoje antes da meia noite.

O que não adianta fazer: Desligar seu PC hoje e só ligar no dia 2 de Abril. Infelizmente isso não protege contra vírus. Se o malware já estiver no seu PC, ao ligar no dia 2, ela vai apenas ser ativado um dia depois.
Também não resolve mudar a data do seu PC. Se voce tem um Mac, ele não é alvo desse virus. Mas infelizmente só porque ele é menos usado.



Veja a reportagem completa no jornal do Yahoo. Ou apenas coloque a palavra no
Google e confira.

sexta-feira, 27 de março de 2009

Vale a pena acompanhar


Minha amiga muito generosa resolveu me dar um selo de presente eu decidi passar esse selo para vcs também.
Antes de mais nada eu gostaria pedir para que visitassem o agradável Café com Poesia para conhecerem um pouco dessa pessoa sensível e talentosa chamada Mirian

Eu decidi indicar 10 blogs, e deixar outros 5 blogs pegarem o selo bastando comentar e deixar seu número marcado nesta postagem

1 CONTOS DA SEREIA
2 ENTRE A LOUCURA E A ARTE
3 CRISTIANE MARINO
4 LANGUAGE GLASSES
5 RETRATOS DA MENTE
6 PIMENTAS VEGANAS
7 MARI AMORIM BRINCANDO COM A RIMA
8 CHIQUE É SER FEIA
9 CORAÇÃO PIRATA
10 MINHAS VIDAS

VOU PASSAR EM CADA UM DESSES BLOGS E AVISAR QUE PODEM VIR AQUI PEGAR, VISITEM TODOS ELES, SÃO ÓTIMOS.

sábado, 21 de março de 2009

Palmas


Palmas

Se fosse escrever algo sobre palmas de mãos preferiria as mãos delicadas de uma mulher, jamais as mãos calejadas de um trabalhador braçal, mãos, dedos palmas e unhas.
Há como se ver beleza nisso tudo, assim como se vê beleza até nos pés de uma bailarina, calejados e cansados, pés de quem voa com a música, a fêmea é sempre bela.
Palmas e palmos podem ser também medidas de quase qualquer coisa, desde o tamanho de uma mula preta, até a porção de comida que se deve ingerir.
Palmas são aplausos, carinhos riudosos do público satisfeito com o espetáculo, são afagos da mão da amada sobre o corpo durante a noite, e pela manhã.
Palmas desferem palmadas, agridem e estalam tapas no momento de raiva, na defesa de direitos, são gestos de liberdade, ou mera violência.
Mãos são punhos cerrados, ou conchas para servir punhados da ração contada e medida, porções da parca comida de muita gente.
Punhos são dedos cerrados sobre palmas, prontos para brigar, aptos a se defender, ou a atacar, tudo depende do lado que se está.
Eu prefiro ainda como no começo as mãos femininas, com delicadeza e maciez, ainda que se mostrem muitas vezes mais firmes que as grossas mãos de um homem qualquer.
Temos diante de nós um instrumento fantástico chamado mão, com ela fazemos milhares de coisas, podem ser boas ou não.
O aplauso pode ser falso, o carinho pode ser fingido, a agressão pode ser sem intenção, mas tudo que ela faz nasce na nossa mente, é executado, e tem efeito imediato.
A dor, o carinho, a falsidade, saem pelo nosso corpo e atingem seu alvo com grande precisão.
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.



sábado, 14 de março de 2009

Circo


Circo
Quase todo tipo de diversão pode ser chamado de circo, quase qualquer coisa pode ser um espetáculo para o respeitável público.
Se for ver este nosso dia a dia por aqui é também um espetáculo para olhos de quem está lendo o que escrevemos.
Tenho uma amiga que gosta de questionar e desconstruir enquanto escreve suas coisas lindas por aí.
Construir um espetáculo, armar uma lona , e juntar os atores, feras, e ilusões, é sempre muito trabalhoso, mas também tem a hora de se atear fogo ao circo .
Chutar o pau da barraca é também um dos espetáculos mais grotescos e populares, o povo gosta de ver desgraças.
Como já disse Rita Lee:
"Pegar fogo nunca foi atração de circo, mas de qualquer maneira pode ser um caloroso espetáculo."
A graça das desgraças é que elas acontecem com os outros, assim você pode se achar esperto por não estar na pele daquele coitado.
O mau gosto e a crueldade sempre foram os principais temperos para um show de sucesso em quase qualquer lugar do planeta, existe muito mais gente burra do que você possa imaginar, isso sai barato e dá para faturar uma bela grana.
Eu mesmo me empenhei em escrever um conto sobre o final dessa rotina, acho até que ficou bom, mas foi com gosto de circo em chamas, uma brincadeira que quase todo mundo já fez, inclusive Nero , e ainda dizem que o cara assistiu a tudo tocando lira.
Chato mesmo vai ser se não der para ficar de fora, se na hora da verdade estivermos no centro do picadeiro, mas eu vou reservar lugares em um camarote, assim vou assistir a desgraça alheia como qualquer um.
Será que realmente vale a pena pagar para ver este espetáculo?
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.




domingo, 8 de março de 2009

Inclusão sem massificação


Inclusão sem massificação

Seria simples demais falar de inclusão social através da obtenção uma qualidade de vida mais homogênea, onde todos pudessem ter tudo ao mesmo tempo, mas isso deixa de lado o ser único e insubstituível.
Quando se fala em inclusão, a idéia de globalização, e de acesso a bens é quase que automaticamente associada a isso, e na verdade isso é parte de um processo, mas devemos levar em conta alguns aspectos que acabam sendo considerados menos importantes.
Toda sociedade tem uma cultura, e esta cultura pode facilitar ou dificultar a vida, mas não pode ser deixada de lado, cada sociedade tem que ser respeitada em suas características culturais, para que possam dar aquilo que tem de melhor aos cidadãos, não vai ser muito produtivo nem saudável tentar em nome dessa inclusão massificadora e globalizante, impor hábitos e costumes sobre aqueles que simplesmente os rejeitam, o que tenham realmente hábitos mais saudáveis do que os que tentaríamos impor.
Este tipo de rolo compressor de culturas em nome do acesso a bens de consumo tende a fazer com que se percam as melhores contribuições de cada uma dessas sociedades.
Muitos estragos já foram feitos, muitas coisas já se perderam, e nem por isso nossas vidas melhoraram por termos mais algumas bugigangas tecnológicas em casa, nossa alimentação piorou, e não conseguimos realmente acabar com a miséria no nosso país.
Nossa única saída é o resgate da nossa identidade sócio-cultural, e a valorização da mesma, somos brasileiros, nossas comidas típicas não são feitas de salsichas e hambúrgueres, festas juninas não são festas country, e halloween, não faz parte de nosso calendário de datas comemorativas.
É mais do que sabido que a educação é a promotora mais eficaz da inclusão social, mesmo porque, um povo educado se faz ouvir e não se deixa enganar, mas este povo tem que ter a sua identidade sócio-cultural, e valoriza-la, tendo isso sempre poderemos até mesmo ter acesso aos tais bens de consumo e bugigangas tecnológicas, mas antes de qualquer coisa teremos a nós mesmos, como uma nação única e que tem uma rica herança cultural, e uma grande contribuição a dar para a humanidade.
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.



sábado, 7 de março de 2009

Circus Maximus


Circus Maximus

A origem de nosso circo parece ser um tanto remota, mas a expressão circus maximus que dava nome ao entretenimento popular no império romano é a sua raiz.
Este circo romano era o meio mais eficaz para se ter controle sobre o povo, bastava a este povo segundo a crença de seus governantes a mera alimentação, e alguma diversão, a fórmula mágica para se manter eternamente no poder.
Chega a ser simplória, mas extremamente verdadeira tal fórmula, mas deve ser mantida às custas de alguma crueldade e de muito mau gosto, afinal nada é mais divertido do que ver alguém sofrendo.
Se for ver nada mudou na vida do povo, ou nas crenças de seus governantes nos últimos 2500 anos, as pessoas continuam submissas àqueles que lhes supram essas duas necessidades, ainda que não se tenha mais combates até a morte, mas temos atrações tão bizarras quanto as da Roma antiga dentro de nossas casas diariamente nos reality shows da tv, e em outros tantos da internet.
Quando criança eu me encantava com palhaços, animais, mágicas, e shows de gosto duvidoso nos circos como o Orlando Orfei, ou o Thiany, não fazia sequer idéia da dose de crueldade e do mau gosto, envolvidos neste espetáculo bizarro.
Hoje temos até mesmo alguns circos que se dizem politicamente corretos, e são igualmente ridículos por assim se auto denominarem.
O circo pode nos trazer algumas lembranças de um tempo em que víamos o mundo de outra forma, mas mesmo assim ainda nos mostra que somos todos da mesma espécie que se divertia ao ver alguém morrer estraçalhado por tigres, ou leões, ou ainda assassinado diante de nossos olhos.
Ligamos nossas televisões em casa e assistimos o jornal, para vermos as tragédias por todo o mundo, e nos deleitamos intimamente com isso no conforto de nossos lares.
Assistimos execuções de reféns por terroristas na internet, mas no final vamos ao Cirque Du Soleil, pois é apenas um show sem crueldade contra animais.
Já disse um dos sócios de um dos maiores circos do mundo P.T Barnum do “Ringling Brothers, and Barnum & Bailey Circus “, “Nasce um trouxa por minuto”, este foi o primeiro grande milionário do entretenimento moderno.
Nossa equação fecha por aí nos dias atuais, alimentar e entreter o povo é o suficiente para te fazer muito rico, e você vai ser sempre sustentado por uma massa de trouxas ávida por bizarrices de toda espécie.
Respeitável público gostaríamos de informar que adoramos o seu dinheiro, e que não respeitamos nada que não seja do nosso interesse, mas que gostamos que vocês se achem muito espertos enquanto enchem nossas contas bancárias, boa noite!
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.



sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Panes nada circenses (Será que o povo tem cara de otário?).


Panes nada circenses (Será que o povo tem cara de otário?).

Eu estive pensando muito, e achei que o assunto valia uma tentativa de artigo, ou conto, ou qualquer outra forma nada poética de expressão, mesmo porque é algo que me deixou indignado, e resolvi me perguntar: ”Será que eu tenho cara de otário?”

Esta semana aqui em São Paulo aconteceu uma coisa que quase ninguém conseguiu explicar, e que quase todos sabem a óbvia explicação.
Um dos parques mais belos e antigos da cidade teve em menos de uma hora seu lago totalmente esvaziado por causa do rompimento do seu vertedouro, este parque está na história da vida de muitas pessoas como eu, e muitos bem antes de mim, na verdade o descaso com o tal lago sempre foi nítido, mas ninguém, ou quase ninguém dava real importância a isto.
Muitas pessoas na hora de optar entre aguardar para se entrar no gabinete de um político chato e inescrupuloso para reclamar e seguir para o trabalho ficava sem qualquer opção e segui sua lida diária.
A imensa montanha de dinheiro que é arrecadada de todos os paulistanos anualmente, e a perene presença do lago quase que centenário, sempre fizeram com que ninguém suspeitasse que isto um dia pudesse acontecer.
Um lago aonde vários animais, cisnes, gansos, garças marrecos, e muitos outros vinham enfeitar por livre e espontânea vontade, além de seus habitantes aquáticos, carpas, e outros peixes, rãs e um sem número de outras espécies.
Não bastasse o desastre, causado por todo este criminoso ignorar sistemático da necessidade de manutenção, o prefeito da cidade ainda foi capaz de dizer que foi a chuva a grande culpada, como se nesse tempo todo nunca houvesse chovido naquele lugar.
Nesses quase cem anos da existência desse lago que era um ponto de encontro de namorados na década de 1920, onde botes poderiam ser alugados para um romântico passeio, e o lago nunca teve este tipo de problema.
A chuva desta semana nem foi nada tão espetacular assim, muitas chuvas muito mais severas que esta já caíram sobre a cidade, e isso nunca aconteceu.
Com certeza um laudo técnico deverá ser expedido por quem tem competência para tal, e aí se poderá talvez identificar a pane que sofreu o sistema de escoamento deste lago, mas culpar a chuva por isso não parece ser a melhor das explicações, principalmente para o Sr. Gilberto Kassab, pois este é engenheiro formado pela Escola Politécnica De Engenharia Da Universidade De São Paulo (Poli – USP).
Talvez este não seja um texto tão agradável de se ler, mas não é nada agradável se sentir feito de palhaço, e ver que a principal pane está no caráter das pessoas que fingem que podem atribuir qualquer coisa à chuva, ao vento, ou a qualquer catástrofe natural, e não encarar sua responsabilidade com relação àquilo que pertence à população de uma forma geral e lhes foi confiado pela mesma para que cuidasse, é uma pane moral, acima de qualquer coisa.

“Será que o povo tem cara de otário?”
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.