terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Recolhendo os cacos





Pablo Picasso: Mulher ao espelho

Entra então na sala Marlene, olha para todos os fantásticos espelhos e começa seu trabalho, como sempre fizera.

Limpar a cada um deles, dar brilho e não deixar qualquer marca de dedos das mãos curiosas que por lá passaram durante o dia, uma rotina que exige paciência e perícia, assim como lucidez e pragmatismo, tudo tem que estar perfeito.

Marlene vê a si mesma em cada um dos espelhos e relembra tudo o que vivera até então, hoje é o mesmo que ontem, o tempo já não faz mais sentido por estas bandas.

Recria o final daquilo que já tinha por ela sido dado como findo, mas não estava, talvez nunca esteja, imagens fragmentadas parecem surgir do nada.

Marlene pega sua vassoura e varre essas imagens em cacos para fora da grande sala.
Acorda Flávio em sua casa com o televisor ligado, suando em bicas, morto de sede.


Por aqui paramos de tecer esta história, acho que até o meu tropeço ajudou um pouquinho, ir e voltar é algo intrínseco ao tecer e ao tecelão, ora afoito por arrematar a trama, ora preocupado com que se tenha muito fio para tecê-la.




Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.





Tivemos mais , muito mais, foi muito bom participar desta bloggincana.


4 comentários:

Eduardo P.L disse...

Ziusco,

muito bom! Melhor impossível! Veja se consegue ficar SEMPRE para o grande e esperado fi8nal! Parabéns!
Obrigado, mais uma vez!

Fatima Cristina disse...

Oi Zisco,
Vejo que você incorporou o personagem "Marlene" e recriou um outro final surpreendente para a Blogstória!
Muito legal!
Um sonho! Como outros tantos que "Flavio" sempre teve!
Valeu!
Beijos!

angela disse...

Um toque de brilhantismo, me emocionou a sua finalização.
Sempre entristeço quando alguma boa história acaba.
beijo

Eduardo P.L disse...

Zisco, obrigado pelo banner da Blogstória, com link, em seu sidebar! Se TODOS fossem como você!!!! srser
Forte abraço